Como surgiu o Carnaval? E seus personagens? + Dicas de Folia


Fonte: https://www.freepik.com/free-photo/party-hat-balloon-with-confetti-golden-masquerade-carnival-mask-wooden-table_3741418.htm

Olá,


O carnaval já começou e estamos hoje aqui no blog para falar um pouco sobre esta festa tão popular e querida do nosso país e principalmente do nosso estado.


Pois é, no Brasil é comum dizer que o ano só se inicia depois do carnaval. Então, esta é uma festa muito marcante no nosso calendário.


Por isso, hoje falaremos um pouco de como esta festa surgiu e de alguns personagens que encontramos durante o carnaval do nosso estado.


Além disso, traremos dicas de folia para você.


Mas como surgiu esta festa?


Vivemos no país considerado como o país do Carnaval, mas será que o Carnaval surgiu no Brasil? Diferentemente do que pensamos o Carnaval não surgiu no Brasil, tanto que muitos outras cidades do mundo comemoram esta festividade (Veneza, Nice, Nova Orleans, Barranquilla).


O que significa a palavra Carnaval?


Já começa pela palavra que tem sua origem do latim. Carnaval vem de carnis levale, cujo significado é retirar a carne. O real significado da palavra Carnaval está relacionado com o jejum que deveria ser realizado durante a quaresma e também com o controle dos prazeres mundanos. Sendo assim, esta festividade se encaixa como uma festa pagã.


Como surgiu o Carnaval?


O Carnaval surgiu muito antes do descobrimento do Brasil. Ele surgiu na Antiguidade .


Acredita-se que o carnaval tenha surgido na antiga Babilônia. Possivelmente se originou de duas festas: as Saceias que eram uma festa em que um prisioneiro assumia o lugar do rei por alguns, inclusive com as mesmas roupas, mesma alimentação e até mesmo dormindo com as esposas do rei. Passado esses dias o prisioneiro era chicoteado e depois enforcado ou empalado.


A outra festividade era realizada pelo rei nos dias antes do equinócio da primavera, período de comemoração do ano novo para aquele povo. O ritual ocorria no templo de um dos primeiros deuses mesopotâmicos, onde o rei perdia seus poderes e privilégio e era surrado na frente da estátua de Marduk (Deus mesopotámio). Essa humilhação servia para demonstrar a submissão do rei à divindade. Em seguida, ele novamente assumia o trono.


As duas festividades tinham em comum a inversão de papeis sociais, fato que remete as fantasias e personagens do carnaval com a transformação temporária.


Alguns ainda falam das associações entre o Carnaval e as civilizações greco-romanas, com as orgias e bacanais e as festas dedicadas ao deus do vinho, Baco (ou Dionísio, para os gregos), marcadas pela embriaguez e pela entrega aos prazeres da carne.


Em Roma, ainda havia as Saturnálias e as Lupercálias. As Saturnálias aconteciam no solstício de inverno, em dezembro, e as Lupercálias, em fevereiro, que seria o mês das divindades infernais, mas também das purificações. Ambas as festividades duravam vários dias com comidas, bebidas e danças. Assim como na Mesopotâmia, em Roma também havia inversão dos papeis sociais, com os escravos colocando-se nos locais de seus senhores, e estes colocando-se no papel de escravos.


Todas estas festividades eram pagãs, sendo assim a Igreja que tinha bastante poder naquela época não via com bons olhos estas festas. As críticas da igreja se baseavam na inversão das posições sociais, pois, para a Igreja, ao inverter os papéis de cada um na sociedade, invertia-se também a relação entre Deus e o demônio.


No entanto, a partir do século VIII a igreja católica buscou incorporar estas festividades em seu calendário com a criação da quaresma. Desta forma, as pessoas se excediam no carnaval para depois passar um tempo voltado para a igreja. No século XI, quando os campos estavam férteis, os homens se fantasiavam de mulheres saíam nas ruas e campos durante algumas noites, os quais se diziam habitantes da fronteira do mundo dos vivos e dos mortos. Então, com esta conversa iam nas casas pedindo comidas e bebidas, e também com os beijos das jovens das casas.


Na época do Renascimento, nas cidades italianas, surgiam teatros improvisados depois canções foram criadas para acompanhar os desfiles, que contavam ainda com carros decorados. Em Veneza, os participantes usavam capa com capuz que encobria ombros e cabeça, além de chapéus de três pontas e uma máscara branca.


No Brasil o carnaval começou ainda no período colonial, em uma manifestações chamada entrudo, de origem portuguesa praticada pelos escravos. Depois surgiram os cordões e ranchos, as festas de salão, os corsos e as escolas de samba. Afoxés, frevos e maracatus também passaram a fazer parte da tradição cultural carnavalesca brasileira.


O Carnaval de Pernambuco é muito rico mas além do ritmo contagiante do frevo que se espalham nos dias de folia por Recife e Olinda temos muitos tradições em algumas outras cidades do nosso estado. E hoje vamos falar um pouco dessas tradições, ritmos e personagens. Além de dicas para quem quer conhecer os diferentes carnavais de Pernambuco.


Mas será que nós Pernambucanos conhecemos bem assim nossas tradições carnavalescas?

Vamos falar um pouco sobre essas tradições.


Caboclo de Lança


O caboclo de lança é conhecido pela sua cabeleira exuberante e pelos mistérios que guarda. Personagem principal do Maracatu Rural - ou de Baque Solto - o caboclo de lança geralmente encarnado por homens que detêm o respeito da comunidade e que levam a sério o processo de confecção da fantasia, que a cada ano muda para proteger a identidade do caboclo. O Maracatu Rural é comum nos municípios da Zona da Mata de Pernambuco.


A vestimenta do caboclo de lança é chamada de "Arrumação" e pesa cerca de 25 kg e é constituída por dois conjuntos de peças: a roupa de cima e a roupa de baixo. A roupa de cima é composta pelo chapéu, gola, guiada e surrão. Já a parte de baixo é formada pela camisa de mangas compridas, lenço, ceroulão, fofa, óculos escuros, cravo na boca e sapatos brancos.


No entanto, a peça mais importante é a "gola" é uma espécie de manto feito de lantejoulas, que é costurado em segredo pelo próprio caboclo, para que ninguém o reconheça quando estiver vestido durante o Carnaval - muitos acreditam que o silêncio dos caboclos de lança advém da sua raiz nas culturas africanas e indígenas.


Já os chapéus e assemelham a uma peruca são fabricadas sobre um chapéu de palha.


As cores chamativas que os caboclos de lança sempre vestem corem fortes que remetem a religiões da cultura afro: amarelo (Oxum), azul (Iansã) e vermelho (Xangô)


A lança carregada pelo caboclo é chamada de "guiada" . Com cerca de 2 metros de comprimento, a lança é feita de madeira imbiriba ou de quiri, cortada por eles mesmos na mata, assada e enterrada na lama por quatro a cinco dias para endurecer. Depois é descascada e afilada na ponta de quatro quinas, antes de ser toda enfeitada por dezenas de metros de fitas coloridas.


Legal né!


Quer conhecer e vivenciar um pouco mais o carnaval do caboclo de lança?


Na cidade de Nazaré da Mata existe um carnaval de caboclo de lança muito legal. Lá ainda pode visitar o museu do caboclo de lança e conhecer um pouco mais sobre a história desse personagem emblemático do carnaval do nosso estado.


Papangús


Tradição comum no interior do nosso estado, os Papangús são comumente encontrados como tradição na cidade de Bezerros.


Os tradicionais Papangús surgiram no final do século XIX . Estes personagens carnavalescos são figuras mascaradas e com roupas compridas nos dias de folia. Seu nome surgiu pois estes mascarados saiam nas ruas e visitavam a seus parentes e amigos nas suas casas e como estavam mascarados que não podiam reconhecê-los, assustando-os se não os recebiam com um angu (mingau de milho, prato típico do agreste Pernambucano). Por isso, estes personagens foram nomeados Papangus.


Todo domingo de carnaval os Papangús sabem pela cidade de Bezerros no agreste do Estado com suas roupas coloridas e suas máscaras de papel machê. A folia dos Papangús vai até a terça-feira de carnaval.


Esta tradição fez da cidade de Bezerros a terceira cidade pernambucana mais visitada no carnaval.


Que tal aproveitar os dias de folia e conhecer este carnaval?


Este é um carnaval conhecido como tranquilo e muito voltados para a família. Se você curte carnaval e tem crianças pequenas, tenho certeza que vai adorar.


No entanto, os papangús e o caboclo de lança não são os únicos personagens do nosso carnaval. Como estes existem vários outros.


Que tal procurar saber qual sua origem?


Vamos curtir os dias de folia sabendo e conhecendo cada um dos seus personagens.


Curtam o carnaval na paz e sem exageros.


A GoClass deseja que os dias de folia sejam divertidos e tranquilos para todos





Equipe GoClass

©2018 by GoClass.