Bullying e Cyberbullying


Fonte: https://www.freepik.com/premium-photo/boy-student-getting-bullied-school_3269696.htm

Olá,


O Post de hoje é para falar de um assunto muito sério, o Bullying e Cyberbullying. O Bullying é uma prática que muito presente nas escolas e por isso precisa ser bastante debatido.


Pois é, este é um tema um tanto quanto polêmico, mas que precisa sim ser debatido, não só na escola mas principalmente em casa. E não devemos falar só com os agredidos mas principalmente com os agressores.


A prática do Bullying apesar de ter esta renominação recente não é uma prática recente. Ela ocorre há décadas nas escolas, podendo causar mal a muitas crianças e jovens.


Para prevenir é preciso conhecer e entender melhor.


O que é o Bullying?


A palavra bullying é de origem inglesa, que significa “valentão” e como verbo (to bully), “brutalizar”, “tiranizar”.


O bullying é o conjunto de atitudes agressivas, intencionais e repetitivas, sem motivo evidente, que causa dor, angústia e sofrimento, praticadas por uma pessoa ou grupo de pessoas que resultem em violência física ou psicológica.


Muito triste não é? Ser vítima de violência física ou psicológica sem nenhum motivo.


O que é o Cyberbullying?


Antes de entender melhor Cyberbullying devemos conceituar também o ciberespaço que deriva do inglês “cyberspace”, o qual seria a junção de “cybernetic” (cibernético) com “space” (espaço), o qual nada mais é que o conjunto de redes de telecomunicações criadas com o processo digital das informações.


Portanto, a internet é um espaço cibernético, mas não podemos dizer que o espaço cibernético se resume apenas à internet .


Sendo assim, podemos conceituar cyberbullying como a ocorrência do bullying no ciberespaço.


O cyberbullying possui características próprias, tendo suas ocorrências através de e-mails, ligações telefônicas, mensagens enviadas pelo celular, material publicado na internet (textos, fotos ou vídeo) e conversas via comunicadores instantâneos.


Em outras palavras, o cyberbullying é uma forma de assédio ou perseguição que acontece entre pessoas, usando a internet, o celular ou qualquer outra tecnologia que sirva para se comunicar.


No cyberbullying, o anonimato por parte do agressor pode permitir que as ofensas sejam ainda mais graves, além de ultrapassar os muros da escola.


As consequências causadas pelo cyberbullying são bem semelhantes às encontradas no bullying corriqueiro, como os problemas de socialização, quando o indivíduo se isola como forma de defesa contra novos ataques e com isso tende a faltar às aulas, além de afetar sua aprendizagem com a queda de atenção.


Da mesma forma, a saúde emocional da vítima pode ser afetada com ansiedade, tristeza, estresse, medo, apatia, angustia e raiva reprimida, podendo levar a graves quadros de depressão. Outros problemas de saúde podem aparecer tais como dores de cabeça e de estômago, distúrbios do sono e perda de apetite. As consequências podem perdurar por toda a vida, mesmo acabando os ataques. Em casos mais graves, o cyberbullying pode levar à automutilação e até mesmo ao suicídio.


Baseada na pesquisa da Ipsos, o Brasil é o segundo país onde crianças e jovens mais sofrem cyberbullying .


De acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, no Brasil, cerca de um em cada dez estudantes é vítima de bullying nas escolas.


O relatório de 2015 aponta que 17,5% dos adolescentes entrevistados disseram sofrer alguma das formas de bullying "algumas vezes por mês"; 7,8% afirmam ser excluídos pelos colegas; 9,3%, são alvo de piadas; 4,1%, serem ameaçados; 3,2%, empurrados e agredidos fisicamente. Outros 5,3% disseram que os colegas frequentemente pegam e destroem suas coisas. 7,9% são alvo de fofocas maldosos. Com base nos relatos dos estudantes, 9% foram classificados no estudo como vítimas frequentes de bullying, ou seja, estão no topo do indicador de agressões e mais expostos a essa situação.


Por isso, é super importante os pais irem a escola para verificar o comportamento do filho, inclusive se ele for o agressor. Pois, comumente o agressor perpetua aquilo que sofreu um dia.


Você só saberá se seu filho sofre ou pratica Bullying se conversar com ele e ficar atento a seu comportamento e suas atitudes.


Por isso, vamos ficar de olho nas nossas crianças e jovens para que todos possam viver de forma harmônica e saudável.


A GoClass apoia e acredita nisso.







Equipe GoClass